Trepa Muleke – 21

Eivado de controvérsias e contradições, como a luta da classe operária, o Trepa 21 surge solto, fluido, descendo o sarrafo nos artistas que aderiram ao neo-reacionarismo e se apequenam a cada tweet. Nos dividimos quanto à qualidade musical de alguns ídolos da juventude (adivinhem quem veio defender os Engenheiros de novo?), mas nos unimos numa moção de aplauso a Joana… Read more →

Trepa Muleke – 20

Data explosiva, o ONZE de setembro marca a gravação ao vivo do VIGÉSIMO Trepa Muleke e mais um ou outro fato triste da história da humanidade. Allende foi derrubado em 1973 e lembramos do fato musical e radiofonicamente, com bandas chilenas politicamente esquerdonas e uma minutagem dos discursos em La Moneda. De nuestra amada pátria latina ao centro do império,… Read more →

Trepa Muleke – 19

UUUUUUmmmm ano de goooooolpe! Vai que é sua, Brasil! Neste fim de inverno, quase primavera, o Trepa 19 fala de um ano de deposição anti-democrática jurimidioparlamentar. Enquanto Dilma brilha pelo mundo em entrevistas e eventos o país tira um cochilinho gostoso no buraco. Há um pequeno frisson pré-eleitoral, mas mesmo as mentes mais crédulas guardam uma certa dúvida sobre o… Read more →

Drops Trepa #1 – Aniversário da Rádio Nacional da Amazônia

Drops Trepa! Drops Rádio Digital! Jamais esquecendo o #golpe que faz um ano hoje, chafurdamos nas recordações lamentáveis que ao menos fazem entender um pouco sobre a composição da lama em que nos metemos. Nos lamentamos que no aniversário de 40 anos de uma das mais importantes rádio do país – a Nacional da Amazônia – o golpe opera o… Read more →

Trepa Muleke – 18

Denúncia! Descobrimos um fã de Engenheiros do Hawaii nas hostes do Trepa. Descubra! Num programa recheado de símbolos e simbolismos, passeamos pelos sons do Southern Rock e das casas de rock caipira em geral para discutirmos o uso da bandeira dos Condeferados e da bandeira de São Paulo por grupos musicais, sulistas ressentidos e simpatizantes da KKK. Uma coisa num… Read more →

Trepa Muleke – 17

É triste, é assustador, mas o fascio virou fashion, ser um imbecil escroto entrou na moda e os amantes de botas e armas estão inebriados de revisionismo histórico e esperanças de poder. O Trepa 17 parte da polêmica das estátuas de Charlottesville – ficam ou vão? são monumentos ou excrescências de um tempo ruim – para discutir um pouquinho da… Read more →

Trepa Muleke – 16

“O golpe não pára! Não páááaara, não, não pára”, já cantava o ex Barão Vermelho. E é toda semana uma velha novidade, um encontrozinho na calada da noite, atrás do arbusto, com a nova PGR; ou uma invencionice que muda tudo pra manter tudo como está. Falamos de distritão, o possível novo sistema eleitoral de deputados e vereadores que o… Read more →

Trepa Muleke – 15

Quem diria que o parlamento brasileiro seria um repositório tão grande de talentos? Já era fato sabido que o gênio da comédia Tiririca ocupa uma de suas cadeiras, mas fomos surpreendidos com a sonoridade única da Banda Wlad, liderada pelo fã número 1 de Michel Temer, o deputado Wladmir Costa. Crooner da banda e radialista no passado, Wlad protagonizou cenas… Read more →

Trepa Muleke – 14

Hacker ladrão que rouba hacker ladrão tem uma eternidade de perdão? Começamos com uma história de Robin Hood modernos, ou seriam Zorros contemporâneos? Os nerdões do Ethereum, a criptomoeda concorrente do Bitcoin, sacaram que alguém estava batendo as carteiras virtuais da comunidade e resolveram roubar primeiro. Tudo em nome da confiança virtual e pra acabar com o controle dos Estados… Read more →

Trepa Muleke – 13

Enlutado e sobrenatural. O Trepa 13 homenageia duas figuras sensacionais que nos deixaram recentemente. Marco Aurélio Garcia, historiador e professor da Unicamp, foi assessor da presidência nos governos Lula e Dilma e um dos principais articuladores de uma política internacional irmanada com a América Latina e altiva em nível global. George Romero foi o cara que inventou o zumbi moderno, e construiu histórias cheias de crítica social esquerdona e metáforas sobre os trabalhadores alienados e excluídos. Para Marco Aurélio ouvimos a clássica Internacional, para Romero ouvimos Goblin, prog italiano louquíssimo e assustador que foi trilha sonora da versão européia de Amanhecer dos Mortos. Sobre passagens para o outro lado, instigados por um caro ouvinte, comentamos ainda sobre a Singularidade, a quase seita tecnológica do Vale do Silício que acredita que o nirvana é tecnológico e que é possível trazer os mortos de volta à vida com um algoritmo de seus pensamentos. De volta ao mundo dos vivos e às agruras de nosso cotidiano falamos da entrevista do Lula para o Ultrajano, dialogando com outro ouvinte sobre reforma trabalhista e sobre quem tem um plano pra esse país. Encerramos com tretas da Turquia e um baita panorama político do antigo império otomano, também terra natal da mãe do Silvio Santos. Read more →